‘Enxergamos o potencial do Brasil’, diz presidente da Microsoft no País

Em entrevista ao Estado, Paula Bellizia explica como a visão da empresa idealizada por Satya Nadella está chegando à atuação da companhia no território nacional

Claudia Tozetto - O Estado de S. Paulo

Você pode ler 3 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você pode ler 3 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Paula Belizzia, presidente da Microsoft Brasil.  Foto: Tiago Queiroz/Estadão

Qual a importância do Brasil dentro da estratégia de nuvem da Microsoft hoje?

Os números são evidências de que as coisas estão indo muito bem no Brasil. Só nos últimos 12 meses, certificamos mais de 10 mil desenvolvedores brasileiros para criar software a partir de tecnologias de nuvem e inteligência artificial da Microsoft. Além disso, vamos fazer um investimento histórico no Brasil, onde estamos presentes há 28 anos: em fevereiro, vamos passar a operar em real, em vez de dólar.

Por que decidiram fazer isso agora?

Enxergamos o potencial do Brasil para a transformação da Microsoft. A aceitação do modelo de computação em nuvem tem sido espetacular no País, que hoje tem o mercado que mais cresce no mundo.

Por que o mercado está tão aquecido no Brasil?

Com a crise econômica, as empresas estão tentando otimizar os custos de seus sistemas e de sua infraestrutura. Ao usar a nuvem, elas só pagam pela capacidade que usam, sem precisar fazer grandes investimentos antecipados.

Como a operação em moeda local beneficia o Brasil?

Cerca de 80% dos serviços para empresas estarão cobertos pela moeda local – outros produtos virão depois. A partir de agora, nossos parceiros vão cobrar dos clientes em real e os contratos de longo prazo serão mais previsíveis. 

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato