WhatsApp ganha chatbot em português para checar notícias de coronavírus

Desenvolvido pela IFCN Associate, o chatbot ajuda no combate à desinformação sobre a doença no Brasil por meio de uma conversa no WhatsApp

Bruna Arimathea* - O Estado de S. Paulo

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você leu 4 de 5 matérias gratuitas do mês

ou Assinar por R$ 0,99

Essa é sua última matéria grátis do mês

ou Assinar por R$ 0,99

Chatbot com informações sobre a covid-19 está disponível nesta terça-feira, 4 Foto: Dado Ruvic/Reuters

A partir desta terça-feira, 4, será possível checar notícias sobre o coronavírus pelo WhatsApp, por meio de um chatbot desenvolvido pela International Fact-checking Network (IFCN). A ferramenta permite que o usuário consulte notícias checadas como fake news com palavras chaves por conversa no app de mensagens.

Segundo Cristina Tardáguila, diretora do IFCN, o projeto começou no início do ano, quando poucos casos da doença ainda eram notificados e evoluiu para um chatbot em maio deste ano, começando com uma versão em inglês da ferramenta.

"Em março, o WhatsApp nos procurou para apoiar o trabalho dos checadores para que a gente pudesse desenvolver projetos nesse porte e a ferramenta nasce daí. Sempre pensamos em como levar esse conteúdo de forma mais palatável a quem realmente precisa dele. E, nesse momento, essas pessoas são os usuários do app no Brasil, já que a plataforma é muito utilizada na comunicação. Era indispensável que essa base de dados chegasse ao País", diz Cristina, em entrevista ao Estadão

A ferramenta já existe em mais de 70 países, por meio das versões em inglês, espanhol e hindi, e agora chega no Brasil e em Portugal com a versão em português. Ao longo do funcionamento, o recurso já identificou mais de 8 mil boatos relacionados ao novo coronavírus e tem cerca de 60 mil usuários por dia em todo mundo. A versão em português do chatbot é um projeto da IFCN com o Instituto de Tecnologia e Sociedade do Rio de Janeiro (ITS Rio).

Cristina esclarece que todas as checagens disponíveis na ferramenta foram verificadas como falsas, ou seja, os resultados de pesquisa do usuário vão indicar o que não é verdade a respeito do coronavírus para, dessa forma, esclarecer de forma mais direta o que é considerado desinformação pelas agências de checagem.

Além da versão em português, o chatbot também possui informações em inglês, espanhol e hindi Foto: IFCN/WhatsApp/Divulgação

Na IFCN, são quatro agências de checagem de fatos brasileiras — entre elas, o Estadão Verifica — e duas portuguesas que fornecem as informações que alimentam a base de dados do chatbot, além da inclusão de material órgãos de checagem em espanhol que tiveram alguns conteúdos traduzidos e adicionados ao sistema disponível em português. No total, até o momento, são 2.260 checagens realizadas por 24 organizações. 

"As pessoas vão perceber que o trabalho dos checadores é imenso e constante e vão conseguir ver que a quantidade de informação que elas podem ter dentro do chatbot é muito grande. As pessoas, às vezes, não acompanham com muita frequência o trabalho do verificador e, no momento em que elas começaram a testar o chatbot, elas vão ver que existe checagem para muita coisa", afirma Cristina.

Como consultar

O usuário deve adicionar na agenda do celular o número +1 (727) 291 2606 e iniciar a conversa com a palavra "oi". A partir de então, o chatbot mostra sete opções de menu numérico, onde o usuário pode escolher entre checar informações, conferir as últimas verificações de fatos e orientações para combater a desinformação, por exemplo. 

Ao escolher a busca, o usuário pode inserir palavras chave sobre o que quer pesquisar, sempre relacionado à covid-19. O resultado da busca será mostrado na conversa, com os dois principais endereços da web sobre as informações, uma breve explicação do porque ela é falsa, e o link para a matéria original de um dos checadores de fato. 

"Os checadores se uniram para oferecer uma solução de distribuição da informação verificada. Vamos ver o que acontece quando, ao invés de lutar para derrubar perfil, nós oferecemos a informação correta. Vamos ter uma chance de ver o que acontece quando as pessoas recebem diretamente essa informação. O chatbot está usando a inundação de notícias", explica Cristina. 

Busca na internet por mensagens

Seguindo a linha de busca, o WhatsApp também está testando uma ferramenta que permite que usuários possam procurar na internet termos diretamente de uma mensagem encaminhada no app. O recurso foi pensado para mensagens que são frequentemente passadas a diversos contatos e, por enquanto, está disponível apenas para alguns países.

No novo recurso, ao receber uma mensagem encaminhada, o usuário poderá ver uma lupa ao lado do texto. Ao clicar no ícone, uma notificação abre na tela, com a opção de pesquisar por aqueles termos na internet, diretamente do WhatsApp.

Recurso já está disponível na versão mais recente do app para Android e iOS Foto: WhatsApp/Divulgação

Segundo a empresa, a ferramenta está sendo testada para facilitar a pesquisa por informações na internet, em um momento onde notícias e compartilhamentos de conteúdo são frequentes no app. A princípio, apenas usuários do Brasil, Espanha, Estados Unidos, Irlanda, Itália, México e Reino Unido que usam a versão mais recente do WhatsApp para Android e iOS tem acesso ao teste.

* é estagiária sob supervisão do repórter Bruno Romani 

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato