Duelo de iPhones: veja comparação entre o iPhone 11 e modelos anteriores

Entenda as especificações e diferenças dos seis modelos diferentes de iPhone que estarão à venda no Brasil no fim do ano; novos aparelhos têm bateria maior, tela de OLED e câmera tripla

Ana Luiza de Carvalho - O Estado de S. Paulo

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você pode ler 5 matérias grátis no mês

ou Assinar por R$ 0,99

Você leu 4 de 5 matérias gratuitas do mês

ou Assinar por R$ 0,99

Essa é sua última matéria grátis do mês

ou Assinar por R$ 0,99

Os seis modelos (na foto, iPhone 8 representa o iPhone 8 e o 8 Plus) que a Apple manteve à venda no mercado Foto: Reuters

A Apple anunciou no último dia 10 o lançamento da série iPhone 11, com três modelos disponíveis: a família é formada pelo iPhone 11 Pro Max, iPhone 11 Pro e a versão mais simples iPhone 11

Os dois aparelhos da série Pro, por exemplo, tem várias novidades: é o caso da presença de aço inoxidável na estrutura dos aparelhos, da tela de OLED, superior à antiga de LCD, e um sistema de câmera tripla – já o iPhone 11, mais barato, tem duas lentes, tela de LCD e estrutura em alumínio. 

As melhorias incluem atualização do sistema para o iOS 13, que estará disponível para alguns dos modelos anterior da Apple, além de bateria com maior duração e maior resistência à água. De acordo com informações da empresa, a nova série "chega ainda este ano ao Brasil", mas sem data de lançamento prevista. Nos Estados Unidos, a pré-venda começa nesta sexta-feira, 13, enquanto a venda nas lojas começará no próximo dia 20. 

Neste texto, entenda as diferenças entre as especificações de cada iPhone que estará à venda no final do ano – além dos três modelos anunciados nesta semana, seguem no mercado os iPhones XR, 8 e 8 Plus. Todas as informações foram retiradas do site oficial da Apple. Aqui, você também pode ver a comparação do iPhone 11 Pro com seus rivais. Confira as diferenças entre cada iPhone:

Tela

iPhone 11 Pro Max

Tela de OLED (Super Retina XDR) com 6,5 polegadas, sem bordas

Corpo em vidro matte texturizado e aço inoxidável

Resolução 2688x1242 pixels, brilho de 800 nits e HDR

iPhone 11 Pro

Tela de OLED (Super Retina XDR) com 5,8 polegadas, sem bordas

Corpo em vidro matte texturizado e aço inoxidável

Resolução de 2435x1125 pixels, brilho máximo de 800 nits e HDR

iPhone 11

Tela de LCD (Liquid Retina) com 6,1 polegadas, sem bordas

Corpo em vidro e alumínio reciclado

Resolução de 1792x828 pixels, brilho máximo de 625 nits

iPhone XR

Tela de LCD (Liquid Retina) com 6,1 polegadas, sem bordas

Corpo em vidro e alumínio

Resolução de 1792x828 pixels e brilho máximo de 625 nits

iPhone 8 Plus

Tela de LCD (Liquid Retina) com 5,5 polegadas

Corpo em vidro e alumínio

Resolução de 1920x1080 pixels e brilho máximo de 625 nits

iPhone 8 

Tela de LCD (Liquid Retina) com 5,5 polegadas

Corpo em vidro e alumínio

Resolução de 1334x750 pixels e brilho máximo de 625 nits

Dos seis modelos, apenas os dois iPhones 8 não têm tela infinita, quase sem bordas. Os dois modelos, bem como o iPhone XR (de 2018) e o iPhone 11, têm tela de LCD; já os dois iPhones 11 Pro têm tela de OLED. 

Câmera traseira 

iPhone 11 Pro Max

Câmera TrueDepth de 12 MP tripla: lentes ultra-angular de abertura ƒ/2.4; grande-angular de abertura ƒ/1.8 e teleobjetiva abertura ƒ/2.0

Modo Noite e gravação de vídeo 4K até 60 quadros por segundo

iPhone 11 Pro

Câmera TrueDepth de 12 MP tripla: lentes ultra-angular de abertura ƒ/2.4; grande-angular de abertura ƒ/1.8 e teleobjetiva abertura ƒ/2.0

Modo Noite e gravação de vídeo 4K até 60 quadros por segundo

iPhone 11

Câmera TrueDepth de 12 MP dupla: lentes ultra-angular de abertura ƒ/2.4 e  grande-angular de abertura ƒ/1.8 

Modo Noite e gravação de vídeo 4K até 60 quadros por segundo

iPhone XR

Câmera de 12MP com lente grande-angular de abertura ƒ/1.8 

Gravação de vídeo 4K até 60 quadros por segundo

iPhone 8 Plus

Câmera de 12 MP dupla: lentes grande-angular de abertura ƒ/1.8 e teleobjetiva de abertura ƒ/2.8 

Gravação de vídeo 4K até 60 quadros por segundo

iPhone 8

Câmera de 12 MP com lente grande-angular de abertura ƒ/1.8

Gravação de vídeo 4K até 60 quadros por segundo

As diferenças aqui são bastante sutis: em 2019, os iPhones 11 trazem como novidade a presença do Modo Noturno de fotografia, um recurso que usa e abusa da inteligência artificial para processar imagens. Os dois modelos Pro têm ainda a presença de três lentes, enquanto o iPhone 11 e os iPhone 8 Plus trazem duas lentes. Só o iPhone XR e o iPhone 8, mais antigos, têm apenas uma lente. 

Os três iPhones lançados neste ano: o iPhone 11, mais barato, o iPhone 11 Pro e o iPhone 11 Pro Max Foto: Reuters

Câmera frontal

iPhone 11 Pro Max

Câmera TrueDepth de 12 MP com abertura ƒ/2.2

HDR Inteligente para fotos, reconhecimento facial Face ID

Gravação de vídeo 4K a 24, 30 60 quadros por segundo

iPhone 11 Pro

Câmera TrueDepth de 12 MP com abertura ƒ/2.2

HDR Inteligente para fotos, reconhecimento facial Face ID

Gravação de vídeo 4K a 24, 30 60 quadros por segundo

iPhone 11

Câmera TrueDepth de 12 MP com abertura ƒ/2.2

HDR Inteligente para fotos, reconhecimento facial Face ID

Gravação de vídeo 4K a 24, 30 60 quadros por segundo

iPhone XR

Câmera TrueDepth de 7 MP com abertura ƒ/2.2

HDR Inteligente para fotos, reconhecimento facial Face ID

Gravação de vídeo 4K a 24, 30 60 quadros por segundo

iPhone 8 Plus

Câmera TrueDepth de 7 MP com abertura ƒ/2.2

HDR Inteligente para fotos

Gravação de vídeo 4K a 24, 30 60 quadros por segundo

iPhone 8

Câmera TrueDepth de 7 MP com abertura ƒ/2.2

HDR Inteligente para fotos

Gravação de vídeo 4K a 24, 30 60 quadros por segundo

Diferenças pequenas, mas substanciais, entre os diferentes modelos: apenas os iPhones 11 têm câmera de 12 megapixels; os três aparelhos e também o iPhone XR possuem reconhecimento facial Face ID, enquanto os dois iPhones 8 não (e seguem com o botão Touch ID, que faz reconhecimento de impressão digital). 

Sistema operacional e processador

iPhone 11 Pro Max

iOS 13; Chip A13 Bionic 

iPhone 11 Pro

iOS 13; Chip A13 Bionic 

iPhone 11

iOS 13; Chip A13 Bionic 

iPhone XR

iOS 12 com possibilidade de atualização para iOS 13; Chip A12 Bionic

iPhone 8 Plus

iOS 11 com possibilidade de atualização para iOS 13; Chip A11 Bionic

iPhone 8

iOS 11 com possibilidade de atualização para iOS 13; Chip A11 Bionic

Todos os anos, a Apple muda seu chip – e o A13 Bionic agora é considerado o “chip mais poderoso já colocado em um smartphone”. É uma questão de processamento, claro, mas também de preço. Além disso, vale dizer: os dois iPhone 8 devem permanecer por menos tempo com acesso aos novos sistemas da Apple – entenda mais nesse texto. 

Bateria

iPhone 11 Pro Max

Cinco horas a mais que o XS Max; recarga sem fio ou por USB

Reprodução com fones de ouvido sem fio: 20 horas para vídeo, 12 horas para streaming de vídeo; 80 horas para áudio

iPhone 11 Pro

Quatro horas a mais que o XS; recarga sem fio ou por USB

Reprodução com fones de ouvido sem fio: 18 horas para vídeo, 11 horas para streaming de vídeo; 65 horas para áudio

iPhone 11

Uma hora a mais de duração do que o XR; recarga sem fio ou por USB

Reprodução com fones de ouvido sem fio: 17 horas para vídeo, 10 horas para streaming de vídeo; 65 horas para áudio

iPhone XR

Uma hora e meia a mais de duração do que o 8 Plus; recarga sem fio ou por USB

Reprodução com fones de ouvido sem fio: 16 horas para vídeo, 65 horas para áudio

iPhone 8 Plus

Duração semelhante ao 7 Plus; recarga sem fio ou por USB

Reprodução com fones de ouvido sem fio: 14 horas para vídeo, 60 horas para áudio

iPhone 8

Duração semelhante ao 7; recarga sem fio ou por USB

Reprodução com fones de ouvido sem fio: 13 horas para vídeo, 40 horas para áudio

Aqui a regra é simples: todos os anos, a Apple busca colocar mais bateria em seus aparelhos; mas, ao mesmo tempo, também traz aparelhos mais robustos em termos de processamento. É uma faca de dois gumes. 

Jornalistas fotografam e comparam as diferentes versões de iPhones durante o evento de lançamento, na última terça, 10 Foto: Justin Sullivan/Getty Images/AFP

Opções de armazenamento e memória

iPhone 11 Pro Max: 64 GB, 256 GB e 512 GB

iPhone 11 Pro:  64 GB, 256 GB e 512 GB

iPhone 11: 64 GB, 128 GB e 256 GB

iPhone XR:  64 GB e 128 GB

iPhone 8 Plus: 64 GB e 128 GB

iPhone 8: 64 GB e 128 GB

Como o preço de cada aparelho varia de acordo com o armazenamento, é uma questão de necessidade de cada usuário e do tamanho de bolso disponível. 

Resistência à água

iPhone 11 Pro Max: Até quatro metros de profundidade por até trinta minutos

iPhone 11 Pro: Até quatro metros de profundidade por até trinta minutos

iPhone 11: Até dois metros de profundidade por até trinta minutos

iPhone XR: Até um metro de profundidade por até trinta minutos

iPhone 8 Plus: Até um metro de profundidade por até trinta minutos

iPhone 8:  Até um metro de profundidade por até trinta minutos

Com os dois iPhone 11 Pro, não só é possível se prevenir de acidentes como até ensaiar o uso do celular em uma sessão de mergulho leve. 

Conectividade

iPhone 11 Pro Max: Dual SIM (eSIM e nano SIM)

iPhone 11 Pro: Dual SIM (eSIM e nano SIM)

iPhone 11: Dual SIM (eSIM e nano SIM)

iPhone XR: Dual SIM (eSIM e nano SIM)

iPhone 8 Plus: Nano SIM

iPhone 8: Nano SIM

Todos os aparelhos da Apple têm conectividade de Bluetooth 5.0, Wi-Fi e usam chips nano SIM (o menor dos três tamanhos de chip disponíveis nas lojas das operadoras brasileiras). A diferença está no número de chips – os iPhones 11 e o iPhone XR podem usar o eSIM, espécie de “chip virtual” disponibilizado apenas por algumas das empresas do País. 

Preço

iPhone 11 Pro Max*

64GB: US$ 1.100

256 GB: US$ 1.250

512 GB: US$ 1.450

iPhone 11 Pro*

64 GB: US$ 1 mil  

256 GB: US$ 1.150  

512 GB: US$ 1.350

iPhone 11*

64 GB: US$ 700

128 GB: US$ 750

256 GB: US$ 850

iPhone XR

64 GB: R$ 4.299 

128 GB: R$ 4.599,00 

iPhone 8 Plus

64 GB: R$ 3.999,00

128 GB: R$ 4.299,00 

iPhone 8

64 GB: R$ 3.399,00  

128 GB: R$ 3.699,00 

*Ainda sem preço oficial no Brasil

Os 20 fatos mais importantes da história da Apple

1 | 20 A Apple Computer foi fundada pelos amigos Steve Jobs e Steve Wozniak em 1º de abril de 1976, no ‘Dia da Mentira’. O primeiro computador criado por eles, o Apple I, era baseado em uma placa de circuito. Ele foi apresentado em uma reunião de um clube de entusiastas dos computadores. Foto: Wikimedia Commons
2 | 20 O Apple II, primeiro computador pessoal com interface gráfica e gabinete plástico, é revelado pela fabricante em Palo Alto, na Califórnia. Foto: Wikimedia Commons
3 | 20 Lançado em janeiro de 1983 por quase US$ 10 mil (o equivalente a US$ 23 mil hoje), o computador Lisa foi o primeiro com uma interface gráfica e um mouse. Ele tinha 1 MB de memória RAM, dois drives de disquete e um disco rígido com capacidade de armazenamento de 5 MB. O nome do computador foi uma homenagem de Jobs a sua filha, Lisa Nicole Brennan. Foto: Wikimedia Commons
4 | 20 Projetado por Jef Raskin, o primeiro Macintosh surgiu em janeiro de 1984. O grande destaque da máquina era seu sistema operacional inovador. Diferentemente do MS-DOS, o MacOS 1.0 foi projetado para funcionar com interface gráfica e mouse, o que facilitou a experiência do usuário.  Foto: Reuters
5 | 20 Em maio de 1985, com o desaquecimento das vendas do Macintosh, o conselho de administração da empresa decidiu demitir Steve Jobs. Foto: Reuters
6 | 20 A Apple lança o Newton Message Pad, seu primeiro dispositivo portátil com tela sensível ao toque. O aparelho já contava com algumas ferramentas disponíveis nos atuais smartphones, como endereço de contatos, calendário e e-mail.  Foto: Wikimedia Commons
7 | 20 Após registrar perdas de US$ 1,8 bilhão, a Apple volta a contratar Steve Jobs como seu presidente executivo em setembro de 1997. Foto: Reuters
8 | 20 O primeiro iMac chegou ao mercado em agosto de 1998. O computador revolucionou o design colorido dos computadores, que eram empacotados em gabinetes na cor preta. Ele também foi inovador por agrupar, em uma mesma estrutura, componentes como a CPU, monitor e drive de CD. O conceito do produto foi criado pelo atual vice-presidente da Apple, Jonathan Ive. Foto: Wikimedia Commons
9 | 20 O tocador de música portátil iPod foi lançado em 2001 e teve sucesso instantâneo no mercado por sua interface simples para o usuário, centrada no uso de botões dispostos em um formato circular. Era a primeira vez que as pessoas podiam carregar sua biblioteca de músicas digitais por aí. Foto: Reuters
10 | 20 A empresa inaugura a iTunes Store, loja virtual que possibilitou aos usuários comprar e fazer download de músicas, livros de áudio, filmes e programas de TV online. O modelo representou uma mudança radical no mercado musical, que já sofria com a distribuição de cópias piratas em formato MP3. Foto: Reprodução
11 | 20 Em junho de 2007, a empresa começou a explorar o segmento de celulares com o lançamento do iPhone, que trazia algumas funções do iPod. O smartphone popularizou a utilização de superfícies sensíveis ao toque.  Foto: Reuters
12 | 20 Após o sucesso do iPhone, a Apple criou o iPad, lançando os tablets como um novo segmento de produtos no mercado. O iPad foi apresentado como um dispositivo intermediário, entre o MacBook e o iPhone. Foto: Reuters
13 | 20 Em janeiro de 2011, Steve Jobs sai pela segunda vez de licença médica para tratar de um câncer no pâncreas diagnosticado em 2004. Poucos meses depois, em agosto, ele deixou o cargo de presidente executivo da Apple. Foto: Reuters
14 | 20 Steve Jobs faleceu em outubro de 2011, devido a complicações em seu estado de saúde. A morte do executivo ocorreu pouco mais de um mês depois de a Apple anunciar que Tim Cook assumiria a presidência da empresa. Foto: Reuters
15 | 20 Em meio às dúvidas relacionadas sobre se o futuro da Apple pós-Steve Jobs, a empresa lançou o relógio inteligente Apple Watch em abril de 2015. Com o dispositivo, que chegou ao mercado meses depois de seus principais concorrentes, a companhia trouxe para o pulso dos usuários alguns dos principais recursos do iPhone.  Foto: Reuters
16 | 20 Inaugurada em abril de 2017 na cidade de Cupertino, a nova sede da Apple, chamada de Apple Park foi um projeto que contou com a ajuda de Steve Jobs, antes de sua morte. Com design moderno, o local foi construído para ser ocupado por até 14,2 mil pessoas. A sede custou US$5 bilhões para a empresa. Foto: Peter Bittner/The New York Times
17 | 20 Em agosto de 2018, a fabricante do iPhone atingiu o valor de mercado de US$ 1 trilhão e se tornou a primeira empresa americana a atingir a marca. O resultado se deve aos bons números do balanço trimestral divulgado pela empresa no final de julho, que mostraram uma alta de 17% na receita, graças às boas vendas do iPhone X -- aparelho mais caro da marca. Foto: REUTERS/Heinz-Peter Bader
18 | 20 Em 25 de março, a empresa finalmente revelou estar produzindo conteúdo para o seu serviço de streaming, o Apple TV+. A Apple alistou diversas celebridades, comediantes e apresentadores para falar do novo serviço de streaming:  Steven Spielberg, Reese Witherspoon, Jennifer Aniston, Steve Carell e Oprah Winfrey. Todos eles terão programas na nova platforma, que ainda não tem data de lançamento.  Foto: Stephen Lam/Reuters
19 | 20 Responsável por criar projetos icônicos, como o do iPod, do iPhone e do iMac, o inglês Sir Jonathan Ive deixou a Apple em junho de 2019. Ele era considerado por Steve Jobs como "a pessoa com maior poder operacional dentro da Apple". Segundo o Wall Street Journal, ele estava insatisfeito com os rumos dados por Tim Cook à companhia.  Foto: Jim Wilson/The New York Times
20 | 20 Em agosto, a Apple se tornou a primeira empresa americana a alcançar o valor de US$ 2 trilhões. Até meados de março, o valor da Apple estava abaixo de US$ 1 trilhão, após uma queda acentuada no mercado de ações por medo do coronavírus, mas a valorização das ações elevou o capital da empresa. Enquanto a empresa levou 42 anos para chegar ao valor de US$ 1 trilhão, foram necessários apenas dois anos para dobrar o seu valor.  Foto: Reuters/Arnd Wiegmann

Mais conteúdo sobre:

Encontrou algum erro? Entre em contato